• 25 JUN 14
    • 0
    O que fazer com o sono que não vem

    O que fazer com o sono que não vem

    Esquecer as preocupações diárias na hora de dormir é apenas uma das recomendações para quem sofre de insônia

    Correria, grande volume de informações, uma vida que não desliga. Está realmente difícil ter muitas – e boas – horas de sono. As pessoas estão dormindo menos para dar conta do que tem a fazer e por estarem com a cabeça cheia de preocupações. O problema é que as noites mal dormidas trazem uma série de malefícios, começando pelos bocejos, passando pela falta de concentração durante o dia, e chegando às doenças cardiovasculares.

    O sono é uma necessidade orgânica indispensável e o ser humano precisa ter, em média, um terço do dia para repousar, mas com qualidade. “Dormir pouco ou mal tem impacto semelhante no organismo. Você pode adormecer e passar oito horas e não ter um sono reparador”, explica o especialista em Medicina do Sono, Sérgio Barros.

    O médico explica que já está comprovado que a falta de tempo dormido pode influenciar negativamente na longevidade da vida. “É um impacto negativo, pessoas com privação do sono têm mais risco a ter hipertensão arterial e quem sofre de insônia tem mais possibilidade de desenvolver transtornos como depressão”.

    A falta de sono, enfim, pode ser o gatilho para quem tem predisposição a um distúrbio psiquiátrico como esquizofrenia. Além disso, o problema impacta na memória, na concentração, na irritabilidade, na libido e ainda diminui o desempenho no trabalho.

    Mal da modernidade, a insônia – desencadeada pela ansiedade, preocupação, competição, estresse no trânsito e outros fatores – pode aparecer na dificuldade de deitar à noite ou ao acordar no meio da madrugada e não conseguir mais recuperar o sono.

    Companheira de anos

    A insônia acompanha o empresário e gerente de marketing Leonardo Picinati, 32, desde os 13 anos. Ele acabou aprendendo a lidar com o problema e, como pode controlar seus horários, acaba trocando o dia pela noite e trabalhando de madrugada.

    “Sei que uma coisa não compensa a outra, mas uso a falta de sono para pesquisar e produzir trabalhos que não preciso entregar de imediato ou ler artigos que guardei para verificar quando tivesse tempo”, conta. Para aguentar a rotina durante os compromissos diurnos, Leonardo ancora-se na cafeína. “Às vezes você tem olheiras, mas o café te deixa acordado para trabalhar”, diz.

    Já o analista de marketing Hudson Vieira, 24, tinha problemas com a falta de sono desde adolescente e com a entrada na faculdade a situação piorou, porque ele começou a estagiar. Ficava com sono o dia todo e mesmo quando conseguia dormir, era um sono leve e acordava com qualquer barulho na rua. “Muitas vezes eu estava no computador, trabalhando ou estudando, e simplesmente apagava. Estava me atrapalhando, então procurei um médico”, conta.

    Foram recomendados uma mudança de dieta e exercícios físicos. Hudson, então, começou a andar de patins regularmente. Mas no caso dele também foi necessário uma medicação para controlar seu sono. “Acordo um pouco dopado, mas agora consigo ficar ligado durante o dia”, diz.

    Ritual diário

    Na grande maioria das vezes, entretanto, apenas a mudança de hábitos já garante uma noite de descanso tranquila. “Às vezes, quando o indivíduo está muito tempo sem dormir é melhor que seja medicado porque se você não dorme a rotina vai ficando cada vez mais pesada. Mas em geral funciona bem um trabalho psicológico aliado a uma rotina de exercícios, comendo bem, com riqueza de frutas e verduras”, destaca a pneumologista especializada em doenças do sono, Jéssica Polese.

    É importante evitar comer alimentos pesados à noite, que podem causar inclusive refluxo, além de deixar o quarto, além de escuro, bem fresco. Bebidas estimulantes como o café e refrigerantes do tipo cola só devem ser ingeridos até duas horas antes do momento de descanso. Além disso é preciso tentar levar uma rotina mais tranquila e lançar mão de atividades como a ioga, a massagem relaxante e a acunpuntura para retirar o excesso de ansiedade.

    Ter uma preparação na hora de ir dormir também ajuda. É preciso estabelecer um ritual, sinalizando para seu organismo que é o momento do descanso. “Tome um banho morno, faça um chá relaxante, como o de camomila, e deixe o quarto com o menos de luminosidade possível”, recomenda a pneumologista.

    Fonte: http://gazetaonline.globo.com/

    Compartilhe em suas redes:
    Comentar

Comentar

Cancel reply
Compartilhe em suas redes: