• 03 JAN 15
    • 0
    Seu problema é sono!

    Seu problema é sono!

    Listamos seis doenças agravadas por noites maldormidas. Maior risco cardíaco é uma delas

    Se as horas de descanso estão insuficientes, o corpo dá sinais que vão além do bocejo e dos olhos cansados. Dormir pouco ou dormir mal pode trazer prejuízos à saúde e ao seu dia a dia.

    Falta de concentração e de coordenação motora, fome em demasia, e suscetibilidade às doenças são apenas alguns dos alertas de que é preciso dormir.

    “É uma situação em que muita gente está passando e não percebe as consequências. Os sintomas se confundem um pouco com o estresse”.

    “Existem estudos mostrando que quem dorme pouco tem mais risco de morte e também de apresentar alterações cardiovasculares”.

    Uma criança terá prejuízo no crescimento e na escola , um adolescente fica mais propenso à doença mental e um adulto tem mais risco cardiovascular .

    O sono é o momento de restabelecimento do organismo como um todo, o corpo repousa, os músculos descansam, as funções hormonais se regulam.

    “O cérebro processa tudo o que precisamos guardar e no dia seguinte estamos aptos a absorver novas informações”. Quando não há o descanso de forma eficaz, todas as atividades ficam comprometidas.

    Falta de concentração

    Você lê, relê e lê mais uma vez aquele parágrafo, mas ele parece não fazer sentido. A sensação é de que o cérebro não está funcionando direito… e não está mesmo.

    “A pessoa que não dormiu a noite inteira tem a impressão de estar de ressaca. Entre as queixas mais comuns estão à dificuldade de memorização, concentração, fadiga, irritabilidade, entre outros”. A capacidade do cérebro de ficar alerta é prejudicada e, por isso, ter foco vira missão quase impossível.

    Dificuldade para tomar decisões

    Segundo estudos realizados pelo pesquisador Sean Drummond, da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, quando estamos cansados temos dificuldade para determinar o que é mais importante e até pequenas decisões ganham gravidade exagerada. Além disso, o pesquisador especializado em privação do sono descobriu que o cansaço leva as pessoas a correrem mais riscos.

    Outro estudo, realizado pela Universidade de Duke, e publicado no Journal of Neuroscience no dia 8 de março, avaliou 29 voluntários. Eles tiveram que tomar decisões de cunho econômico depois de uma noite de sono normal e depois de uma péssima noite. Os pesquisadores utilizaram um aparelho de ressonância magnética para avaliar as funções do cérebro nessas duas ocasiões e descobriram que há uma redução de atividade na região responsável pelo processamento das consequências negativas quando há privação do sono .

    Sensibilidade ou irritabilidade

    Sabe aquela semana em que você está mais impaciente? A culpa também pode ser falta de sono! Quando o corpo não descansa adequadamente, os distúrbios do humor aparecem e podem ser expressados de diferentes formas: como um limiar menor para o estresse , uma sensibilidade maior ou ainda uma maior ansiedade.

    Imunidade baixa

    Noites maldormidas podem deixar o organismo mais vulnerável a infecções. Cansado e sem tempo suficiente para se recuperar, as defesas do corpo ficam baixas. É nessa hora que vírus e bactérias aproveitam a baixa de guarda e atacam.

    Fome de leão

    Cientistas já identificaram que dormir pouco prejudica a queima de gordura . Mas a privação de sono também pode desregular os níveis de açúcar no sangue e levar o corpo a produzir menos lepitina, um hormônio que desacelera o apetite, e mais grelina, que aumenta a fome. Resultado: mesmo depois de um café da manhã reforçado e um almoço bem servido, você passa a tarde beliscando e faz um belo jantar. Na tentativa de se reequilibrar, o organismo sente necessidade de alimentos que contenham açúcares e outros carboidratos simples, fontes rápidas de energia.

    Falta de coordenação motora

    Tropeços, objetos que caem das mãos… a privação do sono faz com que os reflexos fiquem mais lentos. Aliado à falta de concentração, o problema ganha contornos perigosos quando a tarefa a ser executada é dirigir. Por isso, a recomendação de uma boa noite de sono antes de pegar a estrada é tão importante.

    Recuperação

    Minimizar ou tirar de cena os resultados da privação do sono é simples. “Para cada noite mal dormida, a pessoa vai precisar de duas ou três noites de descanso para se recuperar adequadamente, levando em conta sua idade e a quantidade de horas perdidas”.

    É fácil saber qual o déficit de descanso. Basta observar quantas horas você dorme naqueles dias que não tem hora para acordar, como nas férias ou feriados. Os especialistas alertam que perder mais de duas horas de sono por noite durante períodos prolongados o problema é considerado crônico.

    Compartilhe em suas redes:
    Comentar

Comentar

Cancel reply
Compartilhe em suas redes: