• 27 MAIO 14
    • 0
    Sono bom – a fórmula mais barata de se ter melhor rendimento no trabalho.

    Sono bom – a fórmula mais barata de se ter melhor rendimento no trabalho.

    Uma pesquisa recente da International Stress Management Association (Isma-Brevelou que a média da jornada de trabalho de empresários é de 13 horas, aumento de 3 horas em comparação a dados de 2010. Segundo a clínica Med-Rio, especializada em check-ups de executivos, 25% sofrem de insônia, crescimento de 40% nos últimos dez anos.

    “As pessoas estão trabalhando mais e dormindo menos, e algumas das atividades do trabalho afetam o horário em que na verdade elas teriam que estar relaxadas, se preparando para dormir”, afirma a especialista em Medicina do Sono, Jessica Polese. Todos já sabemos que a falta do sono pode acarretar diversos problemas de saúde como diabetes, doenças cardiovasculares, hipertensão, ganho de peso, etc.

    O trabalho define a dinâmica do sono atual. Segundo Matthew J. Wolf-Meyer, professor de antropologia na Universidade da Califórnia, autor do livro The Slumbering Masses (“Massas sonolentas”, numa tradução livre, sem edição no Brasil), o jeito como dormimos hoje nasceu na época da Revolução Industrial, no século 19.

    A rotina profissional organizada por turnos fixos e a energia elétrica a maneira de dormir. Na virada para o século 20, surgiu a ideia de que dormir por oito horas seguidas seria o suficiente. Qualquer comportamento fora desse padrão é visto com preconceito pela sociedade.

    “Mas isso não é verdade, pois existem casos em que se dormir mais é permitido e válido, como crianças e adolescentes que põem dormir de 10h a 12 horas sem algum problema, isso até é muito importante para o desenvolvimento delas”, conta Jessica. E os humanos não são todos iguais e sendo assim, existem as pessoas que “funcionam” melhor de dia, e outras de noite, e algumas ficam satisfeitas com poucas horas de sono e outras precisam de até 10 hs de sono para sentirem-se bem, daí a necessidade de entender qual a melhor hora de cada um, e a quantidade de sono adequada completa Jessica Polese.

    “Algumas empresas já tem se adaptado para tentar promover para seus funcionários salas de descanso, intervalos maiores para as pessoas descansarem e até ‘tirarem uma soneca”, avalia Jessica, mas isso ainda é um fator que acontece em poucas empresas por aqui e mais liberais”, conta.

    Vale lembrar que dormir longos períodos  e ter que cochilar durante o dia pode indicar que o sono está com qualidade ruim, como acontece com os Distúrbios do sono, que impedem que o sono seja reparador e eficaz em recuperar as energias gastas durante o dia e preparar o individuo para um novo dia de trabalho.

    A Pirahy, produtora de arroz, localizada em São Borja, no Rio Grande do Sul, por exemplo, criou uma sala de repouso na fábrica após identificar que os funcionários usavam parte do horário do almoço para cochilar embaixo das árvores. “Não temos como precisar os ganhos disso, mas vemos que quem dorme volta mais bem-disposto e mais alegre”, diz Renan Toniazzo, diretor da Pirahy.

    Na Locaweb, sala de soneca partiu de uma demanda da equipe. “Como o clima da empresa é mais liberal, as pessoas não sentem vergonha. É possível encontrar gente dormindo em diferentes horários do dia”, afirma Claudia Ajbeszyc, gerente executiva de recursos humanos da Locaweb, de São Paulo. O mesmo aconteceu no escritório  do Walmart.com, loja online da rede varejista com escritório em São Paulo.

    “Alguns empresários estão percebendo que vale a pena o investimento na qualidade do trabalhador, pois o retorno é um profissional proativo, disposto e descansado, faz bem para a empresa, que obtém lucros, além de prevenir gastos futuros com a saúde do funcionário provenientes de uma noite mal dormida”, garante Jessica.

    Compartilhe em suas redes:
    Comentar

Comentar

Cancel reply
Compartilhe em suas redes: